quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Reciclar as coisas que não necessito

Resultado de imagem para dizer adeus ao supérfluo

Diga adeus ao supérfluo – roupa que não é usada há mais de dois anos, papéis acumulados, minieletrodomésticos em duplicado ou que já não funcionam, brinquedos postos de lado, objetos decorativos, alimentos processados, refrigerantes… Deite fora, utilizando os contentores adequados, dê ou venda nos vários sites para o efeito. No que respeita a comida, opte por prepará-la em casa em vez de comprar já feito.

Despesas menores: como fazer?

Resultado de imagem para reduzir despesas
Não há como evitá-lo: se os rendimentos diminuem, também as despesas têm de diminuir. Pegue nos extratos bancários e faturas (recorra ao e-fatura se necessário), faça uma lista das despesas recorrentes e veja onde pode cortar: televisão, refeições fora, por exemplo. Tente igualmente renegociar contratos de eletricidade, operador de televisão/Internet/telefone, ginásio (sobretudo se não for muito assíduo – cancelar, nesta situação é a melhor opção; caso seja, talvez esteja na altura de mudar para um low cost, por exemplo). Habitue-se ainda a controlar todas as despesas regularmente e verificar se ainda tem margem para as reduzir mais. Deixar de usar o carro e optar pelos transportes públicos é algo também a ponderar.

Preparar orçamento da família

Resultado de imagem para orçamento

Elaborar um novo orçamento familiar deve ser uma prioridade. E reger-se pelo mesmo também, caso contrário arrisca-se a perder facilmente o controlo das suas finanças. Escolha o método (folha excel, caderno, app, ferramentas online, envelopes com dinheiro) que melhor se adeque às suas necessidades e mantenha-se fiel ao que ficou estipulado – eventualmente terá de ser feitos alguns ajustes, mas não deixe que isto se torne regra.

Como atingir o sucesso !!!

Resultado de imagem para sucesso
A dica é rápida e simples: faça uma limpeza das pessoas tóxicas na sua vida. Muitas vezes sentimos que estamos a marcar passo, que não conseguimos atingir alguns objetivos e não é tanto por falta de vontade, das circunstâncias, ou mesmo do momento económico. É simplesmente porque as pessoas que estão perto de nós nos estão sempre a puxar para baixo. São negativas. Focam-se só nos problemas. Atiram-nos para baixo, mesmo que o façam de uma forma sublime. Sim, porque não confundamos realismo e prudência com negativismo e “bota-abaixismo“. Vocês percebem o que estou a dizer.
O empresário e escritor, Jim Rohn, diz que somos a média das 5 pessoas com as quais mais convivemos. E a questão que vos deixo é: quem são? E são pessoas que vos puxam para cima ou que vos bloqueiam? Apoiam-vos ou travam-vos? No caminho que escolhemos fazer, seja ele pessoal ou profissional [sim, porque a noção de sucesso varia de pessoa para pessoa], chega a uma altura em que temos de fazer escolhas. Portanto, rodeiem-se de pessoas que vos põe para cima, que vos inspiram, que vos apoiam. E não estou a falar de ‘yes, man’. Quem nos faz bem também nos diz a verdade, mesmo quando esta é dura. Mas não nos destroem nem canalizam as suas frustrações para nós. É engraçado que ao longo dos anos as várias pessoas de sucesso que conheci, de bem com a vida, são pessoas que têm uma rede de pessoas positivas à sua volta. Tudo irradia boa energia. Boa vibe. Para quem está a construir o mapa dos sonhos não se esqueçam de iniciar esta limpeza ao longo do processo.

10 Medidas para Poupança

Resultado de imagem para poupar

Há pessoas que têm dificuldade em poupar por terem o orçamento muito apertado, há pessoas que têm dificuldade por falta de organização e método, e há também quem tenha dificuldade por questões de disciplina. É que o caminho requer trabalho, método e comprometimento, e é aí que começa a dificuldade. Às vezes até poderíamos conseguir poupar alguma coisa, mas para isso seria necessário de abdicarmos de algumas coisas. Não conseguindo ter o melhor dos dois mundos, temos então de estabelecer prioridades. Costumo dizer nos meus workshops que não há mal nenhum em gastarmos dinheiro nuns sapatos que gostamos, ir aquele restaurante bom ou mesmo fazer a viagem de sonho. A questão é apenas uma: cabe no orçamento? Esse custo está planeado?
Para quem me responde “ah, mas isso se estar sempre a fazer contas é aborrecido…”, sabem o que vos digo “para mim, aborrecido é perder dinheiro”. E acreditem que não sou apologista de se viver no limite, ou seja, não aproveitar nada da vida mas ter a conta cheia. Todos conhemos muitos casos – sobretudo de pessoas de gerações mais velhas – que morreram com as contas recheadas ou grandes poupanças mas nunca viajaram, sairam da sua terra ou mesmo foram a um bom restaurante. Claro que isso não é o mais importante, e cada um sabe de si. Mas percebem o que vos estou a dizer, certo? Também conhecem o inverso: ou seja, pessoas que vivem no fio da navalha. São os ‘carpe diem’ que depois perante um imprevisto simples – avaria do carro, pagamento de impostos, ou uma questão de saúde – ficam quase à beira da bancarrota.
Em quase 15 anos dedicados a esta vida da educação e literacia financeira acreditem que já vi muitos casos. A diferença está no foco que cada pessoa tem. E isso é válido para o plano financeiro, pessoal ou profissional. Nós temos muito mais força do que às vezes acreditamos.
Partilho convosco 10 passos para uma estratégia de poupança, que abordei num dos livros que publiquei há uns anos. Depois, se quiserem poderei detalhar cada um deles, mas ficam aqui em jeito de lista rápida:
  1. Faça um ‘check up’ das suas finanças pessoais e avalie o seu estado;
  2. Trace objectivos concretos e reais;
  3. Anote todas as despesas que tem diariamente e, no final do mês, faça um mapa de entradas e saídas de dinheiro;
  4. Identifique quais são os gastos desnecessários;
  5. Reduza e corte esses gastos desnecessários;
  6. Aproveite o dinheiro resultante do corte nas despesas desnecessárias para amortizar uma dívida;
  7. Ultrapasse as questões de conflito que possam existir entre os objectivos que definiu e os apelos de consumo;
  8. Comemore as metas alcançadas e trace novos objectivos;
  9. Ao fim de três meses compare os seus mapas mensais de custos e receitas para perceber qual foi a evolução;
  10. Se está no caminho certo e continua a atingir os objectivos, mantenha-o;

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

A compra de habitações em Lisboa está no valor mais elevado de sempre!!!



A compra de casas em Lisboa atingiu o valor mais elevado de sempre depois da crise financeira que Portugal sofreu.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Mude os hábitos em família

Resultado de imagem para Mude os hábitos em família
Tão importante quanto você passar a dar atenção a todos esses aspectos é que sua família também o acompanhe nos novos hábitos. Converse e ensine questões financeiras aos filhos e ao seu cônjuge, leia assuntos com eles e planeie sonhos em comum como forma de recompensa. Pode-se comprar algum novo electrodoméstico ou fazer uma viagem, por exemplo.

Use um programa financeiro online

Resultado de imagem para Use um programa financeiro online
Cada vez mais é possível usar a tecnologia para melhorar a vida quotidiana. Com um software voltado para as finanças, você poderá controlar todos os fluxos que seu dinheiro faz, vendo onde mais gasta e estabelecendo limites mensais de consumo.

Analise bem as formas de pagamento

Resultado de imagem para analisar formas de pagamento
Muitos produtos e serviços são oferecidos com desconto para os pagamentos à vista. Tente utilizar o pagamento em espécie sempre que puder, pois isso ajuda a entender com precisão o quanto está sendo gasto, controlando melhor as contas. Se for realmente necessário dividir as compras com seus cartões de crédito, nunca se esqueça de considerar as parcelas vindouras nos orçamentos dos outros meses.

Partilha

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More