domingo, 6 de maio de 2012

Os locais mais procurados para casas de luxo em Portugal

Esta é uma imagem virtual das futuras habitações do empreendimento Desirah do grupo nortenho HN. Localizado junto à Quinta da Marinha em Cascais.
Esta é uma imagem virtual das futuras habitações do empreendimento Desirah do grupo nortenho HN. Localizado junto à Quinta da Marinha em Cascais.

Estoril, Cascais, Chiado e Lapa são as localizações mais procuradas por promotores e clientes.
As casas mais caras de Portugal continuam a ter procura e a venderem-se, mas a um ritmo menos frenético do que no passado e preferencialmente sem o recurso a crédito bancário. O luxuoso Palácio Estoril Residências, condomínio privado no Estoril, da responsabilidade da Estoril Plage e da ESPART, vendeu 19 dos 27 apartamentos nos dois últimos anos de comercialização, quatro dos quais já este ano.
Num tempo em que impera a selectividade dos investimentos, este empreendimento é o exemplo ideal para qualquer promotor imobiliário, ou para quem o comercializa, já que contém todos os ingredientes essenciais a negócios viáveis: localização ímpar, qualidade superior e investimento único.
"As localizações ‘prime' do mercado residencial são os bairros do Chiado e da Lapa, em Lisboa, zonas onde se continua a vender bem. Ou pelo menos a manter procura. Depois, temos Cascais, a localização mais procurada da região, seguida pelo Estoril e Quinta da Marinha", confere o sócio-gerente da mediadora IRGLux, Nuno Durão.
Responsável pela comercialização do Palácio Estoril Residências, Nuno Durão sublinha que, neste caso, os apartamentos, com um intervalo de valor de venda entre 1,2 e 4,7 milhões de euros, mantiveram inalterados os preços nestes dois anos devido às qualidades atrás referidas: localização e investimento únicos e qualidade superior.
Das 19 unidades vendidas, 60% (11) são propriedade de brasileiros e 40% (8) de portugueses. Um brasileiro e outro português compraram, cada, dois apartamentos e juntaram num só. O mais caro, a "‘penthouse' de sonho, que custa 4,7 milhões, ainda está por vender", diz o mediador. "Neste momento temos agendada a venda de mais três e fica por concretizar cinco. Este ano, acreditamos que iremos fechar a venda deste empreendimento, mas reconheço que são processos morosos", sublinha o gestor.
Um elemento que contribui para a morosidade na concretização de negócios no imobiliário é a actual situação económica de Portugal e da Europa, a eventual saída da Grécia do euro, ou mesmo de Portugal, e a evolução da situação internacional. "Em Setembro do ano passado, havia um pouco o pânico sobre a situação da Grécia: sairia ou não do euro. Em Portugal, irá assistir-se, ou não, a uma convulsão social? São tudo factores que fazem adiar a compra de casa", adianta Nuno Durão.
O esforço de comercialização deste empreendimento do Estoril centrou-se, propositadamente, entre portas e bastou a localização e as características do condomínio Palácio Estoril Residências para atrair os clientes portuguêses, muitos deles residentes nas redondezas. "As pessoas fazem do Palácio Estoril Residências a sua primeira residência. Entre estes clientes, verifica-se, muitas vezes, que a decisão de compra tem por base a opção de mudar de moradia de Cascais para o Estoril", diz o administrador da Estoril Plage, Pedro Garcia.
Outras situações fazem do Palácio Estoril Residências quase como "o seu refúgio, isto é, sentem o apelo ou a vontade de sair de Lisboa e procuram antecipar este movimento, na fase da vida em que iniciam um abrandamento da actividade profissional", defende ainda Pedro Garcia.
Uma das características deste empreendimento é que tem associado algumas valências pouco usuais neste tipo de condomínios. É possível estar-se num "hotel de cinco estrelas em casa" e frequentar um SPA em casa. "A interligação entre a vertente residencial, o Hotel Palácio Estoril, o SPA e o Estoril Wellness Center foi, desde sempre, considerado um elemento-chave deste projecto, constituindo um factor essencial de diferenciação no mercado e, simultaneamente, uma condição que seria capaz de gerar bastante interesse do público-alvo à qual nos dirigimos", concretiza o gestor da Estoril Plage.
Recuperação do edifício Ivens no coração do Chiado
O Chiado é a localização preferencial das principais marcas de retalho internacionais. Um dos problemas reside na escolha do imóvel ideal, na rua e localização mais badalados. Ao invés, uma habitação reabilitada, numa das artérias centrais do Chiado, tem um valor inegável para promotores e para um tipo selecto da procura.
A recuperação do edifício Ivens, 31, pretende responder a essa franja limitada da procura, mas que ainda gera liquidez no mercado. Num investimento de 30 milhões de euros, a ESPART assegura que este tipo de experiências "são para repetir", diz o seu presidente, Carlos Cortês. Com a conclusão de obras prevista para o último trimestre de 2012, o projecto tem vários apartamentos vendidos e reservas asseguradas. O edifício Ivens 31 inclui 15 apartamentos, com tipologias entre duas e seis assoalhadas (duplex), com áreas entre 152 e 380 metros quadrados (m2). Dois dos apartamentos duplex possuem jardins com vista sobre Lisboa e o rio Tejo. Os preços oscilam entre os 645 mil e os 3,57 milhões de euros.
Um condomínio de luxo chamado Desirah
Na linha dos projectos anteriores, o grupo nortenho HN lançou ontem a comercizalização do empreendimento de luxo Desirah, localizado entre a Quinta da Marinha e a Bicuda, em Cascais.
As infra-estruturas ficam concluídas esta semana e a IRGLux é a responsável pela comercialização de 11 moradias, num condomínio fechado, com valores de venda entre 3,7 e 5,5 milhões de euros. A área de construção é de 800 metros quadrados, para um lote de terreno de 1.400 metros quadrados.
Dados dos projectos
- O Palácio Estoril Residências oferece 27 fogos entre 3 e 5 assoalhadas (áreas entre 175m² e 497m² e varandas e terraços com áreas médias de 150m²).
- O edifício Ivens, 31, no Chiado, dispõe de 15 unidades, com áreas entre 152 e 380 m2. Os preços oscilam entre 645 mil e os 3,6 milhões de euros.
- Com um investimento de 40 milhões de euros, o projecto Desirah marca a entrada do grupo HN em operações imobiliárias na região de Lisboa. As 11 casas de luxo têm preços entre 3,7 e 5,5 milhões de euros.

Fonte: Diário Económico

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Partilha

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More